Revista Portuguesa de Xadrez
Escrito por Sérgio Rocha   
Sábado, 26 Abril 2008 13:27

Está de volta a Revista Portuguesa de Xadrez, que há várias décadas deixou de ser impressa. Espero que o projecto possa ter êxito e que possa proporcionar aos leitores momentos agradáveis de leitura. Apresento aqui um dos meus artigos no Nº 0 da RPX que é de distribuição gratuita e que pode ser consultado na íntegra no site oficial da Federação Portuguesa de Xadrez.


Botvinnik, M – Alekhine, A

Torneio AVRO – Holanda 1938

O Torneio AVRO foi um dos torneios mais importantes da história do xadrez nesta época uma vez que costumava reunir os melhores jogadores mundiais. Após esta partida na sétima ronda, Alekhine afirmou que nas catorze partidas do torneio, foi a única vez que se sentiu completamente subjugado pelo adversário, tal tinha sido a demonstração de técnica de Botvinnik. Alekhine e Botvinnik foram respectivamente os quarto e sexto Campeões Mundiais da história do xadrez. O primeiro conquistou o título em 1927 em Buenos Aires perante o grande Capablanca e morreu no Estoril onde levou a cabo algumas actividades xadrezísticas importantes para o nosso país, o segundo sagrou-se Campeão Mundial em 1948 num torneio com os seis melhores jogadores do mundo após a morte do campeão em título Alekhine e foi o fundador da famosa escola de xadrez soviética por onde passariam Karpov e Kasparov entre muitos outros. Alekhine e Botvinnik tiveram estilos de jogos antagónicos, onde o primeiro foi um excelente táctico e o segundo, um perfeito estratega como se pode verificar nesta partida.

1.¤f3 d5 2.d4 ¤f6 3.c4 e6 4.¤c3 c5 Este lance executado por Alekhine pretende alcançar um jogo activo para as negras desde a abertura e dá forma à defesa Tarrash. 5.cxd5 ¤xd5 6.e3 O mais natural seria o avanço e4 mas Botvinnik sempre foi um jogador muito tranquilo 6...¤c6 7.¥c4 cxd4 8.exd4

Definindo assim uma posição de posição isolado na qual Botvinnik era mestre. Neste tipo de posições a vantagem de espaço e melhor jogo de peças compensa o peão isolado ou seja, as brancas tentam explorar a vantagem de desenvolvimento de forma a poder concretizar um ataque sobre o rei preto e as pretas tentam trocar o maior número de peças possíveis de forma a aliviar esse ataque e poderem assim explorar o peão isolado das brancas. 8...¥e7 9.0–0 0–0 10.¦e1 b6 melhor seria [10...¤xc3 11.bxc3 b6 12.¥d3 ¥b7 13.h4 ¥xh4 14.¤xh4 £xh4 15.¦e3 com hipóteses para ambos os jogadores] 11.¤xd5 As brancas alteram a estrutura de peões para aproveitarem a vantagem de desenvolvimento e ocuparem a coluna cexd5 12.¥b5 ¥d7 13.£a4 ¤b8 [13...¦c8 14.¥f4²] 14.¥f4 ¥xb5 15.£xb5 a6 16.£a4 ¥d6 17.¥xd6 £xd6 As negras conseguiram trocar um par de peças mas a coluna "c" vai ficar na posse das brancas de forma a que a vantagem destas passe a ser significativa. 18.¦ac1 ¦a7 19.£c2 ¦e7 20.¦xe7 £xe7 21.£c7! Uma boa jogada visto que, a dama negra é a única peça negra activa e a torre branca será muito mais eficaz que a negra. 21...£xc7 22.¦xc7 f6! Impede a entrada do cavalo em e5 e g5 23.¢f1 ¦f7 24.¦c8+ ¦f8 25.¦c3 As brancas devem manter as torres, uma vez que a sua é muito mais activa 25...g5?! Este lance pode vir a debilitar os peões no futuro, havia que tentar defender com uma coordenação maior de peças [25...¢f7] 26.¤e1 O cavalo dirige-se a e3 via c2 para atacar d5 26...h5 27.h4! Um excelente lance que fixa o peão h5 e demonstra desde já o erro que foi o avanço prematuro dos peões. 27...¤d7 28.¦c7 ¦f7 29.¤f3
XABCDEFGHY
8-+-+-+k+(
7+-tRn+r+-'
6pzp-+-zp-+&
5+-+p+-zpp%
4-+-zP-+-zP$
3+-+-+N+-#
2PzP-+-zPP+"
1+-+-+K+-!
xabcdefghy

Consequência da jogada 27, o peão "g" negro é obrigado a avançar e com isso enfraquecer ainda mais os peões da ala de rei. 29...g4 [29...gxh4 30.¤xh4 é ainda pior] 30.¤e1 O cavalo volta para tentar chegar a f4 30...f5 31.¤d3 f4 32.f3 fixa o peão f4 num alvo do cavalo. 32...gxf3 33.gxf3 a5 34.a4 Como se pode verificar, as brancas levaram a cabo um plano com uma perfeição exemplar sem lances espectaculares mas muito consistentes e com uma excelente técnica que originou uma posição de grande vantagem. ¢f8 35.¦c6 ¢e7 36.¢f2 ¦f5 37.b3 ¢d8 38.¢e2 As negras estão completamente passivas e as brancas melhoram as suas peças até chegar o momento em que os peões negros vão cair. 38...¤b8 39.¦g6 [39.¦xb6? permitia as negras activarem-se um pouco com 39...¢c7 40.¦g6 ¤c6] 39...¢c7 40.¤e5 ¤a6 41.¦g7+ ¢c8 42.¤c6 ¦f6 43.¤e7+ ¢b8 44.¤xd5 Por fim! As negras continuam passivas e já perderam material. O resto é simples. 44...¦d6 45.¦g5 ¤b4 46.¤xb4 axb4 47.¦xh5 ¦c6 [47...¦xd4 48.¦f5 ¢c7 49.h5+-] 48.¦b5 ¢c7 49.¦xb4 ¦h6 50.¦b5 ¦xh4 51.¢d3 1–0 Excelente partida de Botvinnik que derrotou o campeão mundial em titulo.

 

 
Copyright 2008 Sergio Rocha